17

A ignorância no outro lado da moeda

Geralmente quem acompanha e ama o futebol é taxado como ignorante, sem capacidade de ter prazer com outras coisas chamadas 'produtivas' ao invés de assistir a um “bando de homens correndo atrás de uma bola”. Mas talvez a ignorância esteja no outro lado da moeda neste caso.

Como qualquer outro esporte, o futebol pode ser fator de cultura e de educação. Porém, pela sua popularidade em níveis mundiais, ele se torna muito mais do que isso, é também um grande fator de interação e integração social sendo que várias crianças no mundo inteiro salvam-se da violência justamente por praticar esse esporte, que os ensina disciplina e coletividade. Além disso, um evento da grandiosidade de uma Copa do Mundo, por exemplo, dá emprego a vários cidadãos, movimenta a economia de um país – ou até de um continente –, e deixa um legado importantíssimo, como no transporte, no turismo, na infra-estrutura e em termos de visibilidade.

Feliz ou infelizmente, esse esporte está presente na vida de todos, absolutamente todos. Perceba que em seu twitter, a metade dos TT's são relacionados a futebol, ligue a TV e assista à notícia de um título conquistado por um clube, saia de casa e observe quantas pessoas estão vestidas com seus “mantos sagrados”, pare de ler este texto e olhe para o sofá, e aí poderá ver seu pai/vô/marido/sobrinho/tio/filho completamente emocionado assistindo a uma partida de futebol, e sabe por quê? Porque ele ou ela ama ver um bando de homens correndo atrás de uma bola.

Flávio Moreira da Costa, jornalista, tradutor e escritor de livros literários, organizou um livro só com textos literários sobre o futebol. Vinte e dois autores e vinte e dois textos sobre futebol. Vinte e duas ficções sobre este esporte que é, segundo o próprio autor, no “Jogo preliminar” de seu livro (leia-se: introdução): “Dança, fenômeno; campo de grama e campo de violência; bolsa de valores em que jogadores funcionam como mercadoria; profissão e arte como possibilidades de ascensão social; ‘celeiro’ de craques e de ex-craques, vedetes de ontem e esquecidos de hoje; exemplos, ídolos e decepções para toda uma comunidade – no estranho mundo do futebol de tudo um pouco há” (no livro “22 contistas em campo”, editora Ediouro, 2006, p. 9).

O futebol está presente na literatura, assim como na música, por exemplo. Quem não é conhecedor da célebre “Uma partida de futebol”, cantada pelo Skank (link). E quem também não lembra de Chico Buarque cantando “Aqui na Terra estão jogando futebol” (link) e também “Para Mané para Didi para Mané; Mané para Didi para Mané para; Didi para; Pagão para Pelé e Canhoteiro” (link)? E voltando à literatura podemos chegar à Macunaíma, a mais conhecida obra de Mário de Andrade, que mostra como o futebol foi inventado pelos índios, antes de Cabral ainda. É ficção, claro, mas nada absurdo, não é mesmo?

O futebol é elemento tão cultural que permite justamente isto. Ser recriado. Ser musicalizado e ficcionado. O futebol merece ser discutido em sala de aula, merece ser discutido no almoço da família, merece ser discutido na fila do banco. Merece ser discutido, conversado, roteirizado. Merece discordância, sim, claro que sim. Afinal, além de toda unanimidade ser burra (não podemos fechar um texto envolvendo futebol, cultura e literatura sem citar Nelson Rodrigues), que graça teria se todos torcêssemos para o mesmo time, ou se considerássemos bom jogador só o camisa dez? O futebol pede diversidade. E, com isso, pede respeito, muito respeito. Respeito à cultura, à história, à tradição do outro. O futebol pode ensinar educação para as pessoas. Só não vê quem não quer. Só não vê quem prefere se esconder atrás de clichês e de homens correndo atrás de uma bola.

Caetano Lorenzetti.
Ítalo Puccini

Ítalo é um jovem que mesmo lecionando literatura e afins, nunca deixa de lado uma das suas maiores paixões de sua vida que é o futebol, e quem diria, seu sonho era ser locutor esportivo. Conversando no msn, debatemos um pouco mais sobre esse assunto, que mesmo merecendo, pouco é debatido na sala de aulas. Acho que vou seguir os conselhos de meu amigo e fazer algumas cópias para deixar em cima da mesa da sala dos professores.

17 comentários:

Rafael comentou:

Adorei a postagem. Concordo em gênero, número e grau. O futebol é simplismente o maior esporte já criado pelo ser humano e depois de das Olimpíadas (um conjunto dos principais esportes do mundo), a Copa do Mundo é o evento esportivo mais importante do mundo. Os americanos tentam competir com o basquete e o baseball, além do futebol americano, mas sinceramente, o futebol, nosso tradicional futebol, criado por ingleses com sangue de brasileiros, é insuperável. EU AMO FUTEBOL, por causa do futebol que eu pretendo me tornar um jornalista esportivo. O futebol está no nosso dia a dia e é inevitável. É uma paixão recíproca, pois é um belo espetáculo que com certeza salva diversas vidas. Futebol é muito além de 22 homens correndo atrás de uma bola. É uma religião, onde por 90 minutos, seu time é seu maior patrimônio e sua felicidade depende do bom resultado dele. Essa é a magia do maior esporte de todos os tempos.

Acessa? http://www.leontextos.blogspot.com

3 de agosto de 2010 17:51
Rafael comentou:
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando comentou:

Falou tudo!
Ignorante daquele que discorda totalmente do que foi exposto por ti.

Olhemos além do clichê!
Futebol é bem mais que isso...

Abs,
seuanonimo.blogspot.com

3 de agosto de 2010 17:58
Escritas Diretas comentou:

Sensacional! Belo post e com total razão e direção. Como disse o amigo ali de cima: É o maior esporte já criado. Emoção, sentimentalismo e torcida ao se ver uma partida do seu time do coração.

www.escritasdiretas.blogspot.com

abraço

3 de agosto de 2010 18:36
O Judeu Ateu comentou:

Discordo....

O futebol só serve como fator social pra quem gosta, pq se falo que não vejo a mínima graça no esporte já sou tachando de ante cultural e sou excluido do grupo.

E praticamente tudo que vc falou poderia servir muito bem pra qualquer outro esporte...

3 de agosto de 2010 18:37
Luís Felipe Barreiros comentou:

O esporte pode e muda muitas situações. É uma coisa que, além de sadia, muito boa de fazer.

Ser 'taxado' como ignorante por gostar de futebol é, no mínimo ridículo.

Abraço,
porforadogramado.blogspot.com

3 de agosto de 2010 19:52
Coyot comentou:

Aeeee

até que enfim alguém disse umas verdades.... Preconceito quando digo que estava vendo o jogo, as pessoas olham para mim de lado

:(

3 de agosto de 2010 19:58
Caio Lima comentou:

Assino em baixo de TUDO o que vc disse. Durante a Copa do Mundo, por exemplo, eu vi muita gente chamando as pessoas que torciam para o BRASIL de ignorante e alienado. Quem acompanhava a Copa tbm era ignorante e alienado.

Mas isso ai que vc falou tbm se aplica a outros esportes, skate, natação, volei, etc.
Eu acredito no esporte (junto com a cultura) como a forma mais eficiente de se educar uma criança e um adolescente.

Adorei seu texto, é exatamente a minha opinião e é o que eu sempre digo pra quando me chamam de alienado por assistir campeonato brasileiro, copa do mundo etc.

abraço

3 de agosto de 2010 23:07
Luiz Brisa comentou:

esse tipo d coisa não devia acontecer

4 de agosto de 2010 01:30
jaka comentou:

futebol é um esporte democratico, dos cultos e ignorantes, mas ha de convir que ele nao eh essencial a vida de todos!

4 de agosto de 2010 05:04
kbritovb comentou:

futebol move o mundo é uma grande verdade
tanto quanto que como tantas outras coisas do mundo está corrompido, vendido e viro ponto de lavagem de dinheiro

mesmo assim ainda consegue arrastar multidões

4 de agosto de 2010 16:56
Canto do Lufa comentou:

Não acho quqe quem acompanha futebol é ignorante.
Futebol é uma arte.

O que de fato me incomoda são as pessoas fanáticas, pessoas que só falam de futebol, que ficam deprimidas quando seu time perde.
Me incomoda quando o futebol invade a vida social de uma pessoa

10 de agosto de 2010 17:22
Beatriz Verissimo comentou:

Adoro futebol, como o Canto do Lufa disse: Futebol é uma arte!
Só não podemos viver 24horas por ele né ?

24 de setembro de 2010 21:16
Lidiane comentou:

Acho que devemos respeitar o diferente. Não apenas no futebol, mas em todas as áreas.
http://jornalistadeferias.blogspot.com

27 de setembro de 2010 13:37
Aripiprazol e Caiçara Parpitero comentou:

Bom, o Caiçara aqui gosta muito do futebol, mas fica muito triste como os outros esportes são menosprezados, pois o Brasil tem um potencial fudido para ser uma grande potencia no esporte! Sou praticante de Rugby, e sei muito bem como é foda o desprezo por esportes não tão conhecidos no Brasil.

27 de setembro de 2010 13:43
diogo comentou:

concordo com tudo que vc disse

eu particulamente não gosto de futebol, mas respeito e aceito quem gosta, só nao pode deixar isso virar fanatismo

http://alem-da-pele.blogspot.com/

27 de setembro de 2010 13:47
Karla Hack comentou:

Não sou fã de futebol, apesar de gostar do esporte e curtir alguns jogos...~Mas também não vejo como algo negativo alguém ser fã do mesmo. Pelo contrário, admiro e respeito. Só que concordo com você em alguns aspectos, realmente existe quem imponha um certo "padrão" pré-determinado de quem seria um torcedor de futebol..
Ignorância quem vê um padrão!

Parabéns pela postagem..
Seu blog é o exemplo vivo para os que criam pré-conceitos inexistentes aos torcedores!

;D

27 de setembro de 2010 13:56

Postar um comentário