6

A situação dos estádios para a Copa de 2014

Confira como estão os andamentos das obras nas 12 sedes brasileiras.


São Paulo


Estádio: A definir.
A Fifa, sob influência da CBF, vetou o Morumbi. Os governos estadual e municipal chegaram a anunciar a arena do Corinthians, a ser construída em Itaquera, como o palco da abertura da Copa do Mundo 2014. Contudo, o clube tem por ora um acordo de R$ 335 milhões com a Odebrecht, para um estádio de apenas 48 mil lugares. A ampliação, para 65 mil lugares, depende de novo aporte financeiro.

Rio De Janeiro


Estádio: Maracanã.
O BNDES acabou de liberar R$ 400 milhões para a reconstrução de parte do estádio, que custará ao final cerca de R$ 705 milhões. As cadeiras do anel inferior foram retiradas, e começa agora a demolição das arquibancadas inferiores. Além da correção das curvas de visibilidade, o principal estádio que passará de 83 mil para 76 mil lugares – todos cobertos e numerados.

Belo Horizonte



Estádio: Mineirão
Após passar por reforço estrutural no primeiro semestre, o estádio foi fechado para obras. O gramado está sendo retirado para o rebaixamento em 3,5 metros. O governo estadual fará o investimento de R$ 665 milhões no total, para remodelar o estádio, com apoio do BNDES. Sua capacidade será de 69 mil lugares, o que o habilita à briga pelo jogo de abertura da Copa.

Curitiba


Estádio: Arena da Baixada
Contou ontem com a aprovação da Lei de Potencial Construtiva na Câmara de Vereadores. Isso permitirá ao Atlético-PR receber R$ 90 milhões para as obras, além das isenções fiscais dos materiais de construção. O investimento será de R$ 120 milhões no total. A ampliação das arquibancadas, para 41 mil lugares, deve começar no início do ano que vem.

Natal

Estádio: das Dunas
Um dos mais atrasados. Recebeu 19 propostas de construtoras, mas o prazo vai até 4 de novembro, conforme edital de licitação. A demolição do estádio Machadão e do ginásio Machadinho deve começar no início do ano que vem. A nova arena será viabilizada por meio de uma parceria público-privada (PPP) e está orçada em R$ 400 milhões.

Manaus



Estádio: Arena Amazônia
A Controladoria Geral da União (CGU) identificou sobrepreço em materiais de construção e o empréstimo do BNDES está suspenso. As obras começaram em maio, com recursos do estado, e as arquibancadas do antigo Vivaldão já foram demolidas. A arena custará cerca de R$ 498 milhões e terá capacidade para 47 mil pessoas.

Salvador

Estádio: Fonte Nova
Em setembro foram liberados R$ 323 milhões pelo BNDES. A demolição das arquibancadas já ocorreu. Agora se trabalha nas fundações. As construtoras OAS e Odebrecht terão à disposição cerca de R$ 650 milhões. O Estado se candidatou à abertura da Copa, apesar de o estádio estar sendo preparado para 50 mil lugares.

Brasília

Estádio: Mané Garricha
Vive situação crítica. O governo iniciou o processo de desmonte e demolição em maio, após o Tribunal de Contas distrital liberar o edital, mas este foi suspenso por suspeita de sobrepreço. O estádio concorre à abertura da Copa e é o segundo mais caro: R$ 696 milhões. O Ministério Público exige a redução da capacidade de 72 mil para 30 mil pessoas.

Cuiabá

Estádio: Verdão
Após o desmonte e demolição das arquibancadas, as obras seguem para a compactação do solo e afase de fundações. Custará R$ 342 milhões aos cofres estaduais e será construído pelo consórcio Santa Bárbara/Mendes Júnior. Deverá receber 42,5 mil pessoas, com arquibancadas modulares, que serão retiradas após a Copa-14.

Fortaleza

Estádio: Castelão
Licitação suspensa atrasa as obras no estádio, que dá adeus à Copa das Conferedações. O BNDES liberou em setembro R$ 351,5 milhões para a reforma do estádio, orçado em R$ 452,2 milhões. O contrato tem o modelo de parceria público-privada. O consórcio de construtoras vencedor irá construir e operar o Castelão por oito anos.

Recife

Estádio: Arena Pernambuco
Mesmo com a liberação em julho da licença ambiental, as obras da Arena Pernambuco não começaram. A concessionária Odebrecht/ISG/AEG finaliza uma pesquisa arqueológica no terreno, enquanto o governo tenta retirar os últimos posseiros da região. A construção está orçada em R$ 532 milhões e arena terá 46 mil lugares. Parte dos recursos será obtido via financiamento do BNDES.

Porto Alegre



Estádio: Beira-Rio
Vive um impasse. A Fifa exige o rebaixamento do gramado, mas o Internacional considera o custo alto. A obra está orçada em R$ 130 milhões, mas pode chegar com o novo pedido a R$ 270 milhões. O clube será beneficiado com isenções nos materiais de construção e iniciou as obras pela cobertura do estádio. A capacidade para a Copa-14 será de 60 mil lugares.

Vi no Msn Esportes.

Veja também:

# Foto Torcedor XI. Participe!

# Links da Semana #2

# Bolão Análise F.C Mostre que conhece de futebol!

PS: O Análise FC está concorrendo ao prêmio topblog 2010. Peço o seu voto no 2º turno. É muito simples: clique neste link, depois em votar e coloque seu nome e email. Posteriormente receberá um email de confirmação do voto. Obrigado!

6 comentários:

Victor Pagani comentou:

Eu já vi uma matéria mostrando os estádios, estão ficando todos bons... Mas o de Fortaleza ganha de todos!

[]'s

27 de outubro de 2010 13:26
Mundo do Samuka comentou:

Po o de natal vai ficar mto foda!

http://mundodosamuka.blogspot.com

27 de outubro de 2010 17:57
Tomy comentou:

A briga pela abertura vai ficar entre Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte. São Paulo saiu da briga há muito tempo.

Caso queiram, visitem meu novo blog:
soccerworldtm.blogspot.com

27 de outubro de 2010 18:50
Anônimo comentou:

QUe futebol natal tem pra manter um estadio desse ou Manaus nada serão elefantes brancos

29 de outubro de 2010 10:46
Anônimo comentou:

Eu moro do lado onde vai ser o novo estádio do Corinthians algum problema?

29 de outubro de 2010 15:20
Renan comentou:

E dá-lhe desvio de verba...

29 de outubro de 2010 22:11

Postar um comentário