4

História dos mascotes dos times brasileiros


A revista Mundo Estranho publicou um artigo que explica a origem dos mascotes dos principais times do futebol brasileiro. É bem interessante e vale a pena conferir.

Grêmio

Mascote: Mosqueteiro
O Mosqueteiro gremista surgiu ao mesmo tempo em dois jornais de Porto Alegre nos anos 50: a Folha Esportiva e a Hora. Representa a postura elitizada que a torcida tricolor tinha, naquela época, em relação à do Inter.

Internacional

Mascote: Saci
Substituiu outro mascote: um rapaz negro que reforçava a origem popular do Inter. O personagem folclórico representava o futebol do time, que pregava peças nos rivais, nos anos 50.

São Paulo

Mascote: Santo São Paulo
Foi criado na década de 40 por um cartunista do jornal A Gazeta Esportiva, a imagem do santo agradou a todos os São-paulinos e permanece até hoje como mascote oficial do clube. O verdadeiro santo morreu jovem, mas o símbolo é um velhinho.

Corinthians

Mascote: Mosqueteiro
Em 1929, o Timão bateu o Barracas, da Argentina, com muita raça em campo. No dia seguinte, o jornalista Thomas Mazzoni publicou que o coringão venceu “com fibra de mosqueteiro”.

Santos

Mascote: Peixe
Na década de 1930, enfrentando o São Paulo da Floresta, os torcedores rivais chamaram os santistas, que vinham do litoral, de “peixeiros”. O Santos tomou 5 a 1, mas ganhou um mascote.

Palmeiras

Mascote: Porco
O presidente corintiano Wadih Helu, em 1969,se referiu aos rivais usando o apelido dado aos fascistas. Após 17 anos, o grito de “porco” parou de soar ofensivo e foi adotado pelos alviverdes.

Flamengo

Mascote: Urubu
Os flamenguistas eram chamados de “urubus” pelo time ser popular entre os pobres. Em 1969, a torcida soltou um urubu no campo do Maracanã e o mascote deu sorte contra o Botafogo.

Vasco

Mascote: Comerciante português
Representando as origens do Vasco da Gama – nome que homenageia o grande navegador português –, o mascote bigodudo, barrigudo e com tamancas foi adotado nos anos 40.

Botafogo

Mascote: Biriba
Em 1948, o zagueiro Macaé levou seu vira-lata para um jogo que o Fogão venceu. Por ordens do dirigente Carlito Rocha, passou a frequentar os jogos e virou amuleto do título carioca invicto.

Fluminense

Mascote: Cartola
Foi criado em 1943, pelo chargista argentino Lorenzo Mollas. A ideia era ter um mascote distinto que representasse as origens aristocratas do tricolor.

Cruzeiro

Mascote: Raposa
Surgiu como uma homenagem do chargista Mangabeira a Mario Grosso, presidente do clube entre 1942 e 1947. Segundo o desenhista, porque Grosso era “astuto como uma raposa”.

Atlético-MG

Mascote: Galo
Em 1945, Mangabeira desenhou um galo para simbolizar o espírito de luta do clube. Nos anos 50, o volante Zé do Monte entrava em campo com o animal, que caiu no gosto da massa.

Bahia

Mascote: Super-Homem
O apelido “tricolor de aço” inspirou o cartunista Ziraldo a criar o mascote super-heroico em 1979. A diferença para o original são as cores do clube – sai o amarelo e entra o branco.

Náutico

Mascote: Timbu
Em 1934, o time passou o intervalo de um jogo em campo, tomando umas doses para aquecer. A torcida rival gritava ”timbu, timbu” – bicho que seria chegado a bebida.

Atlético-PR

Mascote: Furacão
O Atlético passou pelo estadual de 1949 como um furacão: onze vitórias seguidas e apenas uma derrota na última rodada. A média de gols do time foi superior a 4 por jogo.

Coritiba

Mascote: Vovô
Representa um torcedor de verdade: o alemão Max Kopf (1875-1956)! Ele foi adotado como símbolo do clube em 1957, por acompanhar o Coxa desde a fundação, em 1909.

Se seu time não está aqui deixe um comentário e a explicação sobre o respectivo mascote.

#Recomendamos:
Colmeia, Átoa na Net e Minilua

4 comentários:

Mundo do Samuka comentou:

o pior é o do flamengo.. pqp.

2 de dezembro de 2010 13:26
Lucas Rafael comentou:

O melhor mascote é o do FLAMENGO,desculpa amigo Mundo do Samuka isso é dor de cotovelo!

2 de dezembro de 2010 22:06
Marne Campos comentou:

GUARANI

Mascote: Bugre

O Bugre, mascote do Guarani, surgiu como homenagem ao filho da terra, o compositor Carlos Gomes, autor da ópera “O Guarany”, um enorme sucesso em 1911, ano da fundação do clube de Campinas. A figura do indiozinho nada mais é do que uma representação dos homens que formavam a tribo dos Guaranis, conhecidos por sua grande coragem e espírito de luta, características que o clube carrega ao longo de sua existência.

9 de dezembro de 2010 16:11
reaper comentou:

quase todos mascotes foram homenagens de chargistas, destaque para o mascote do Botafogo, que teve uma ligacao direta com o clube, a historia do Biriba sem duvidas é a melhor.

16 de julho de 2012 21:52

Postar um comentário